História

Aos 06 (seis) dias do mês de maio de 2008 anos do nascimento do Nosso Senhor Jesus Cristo e data em que se completam 165 anos de elevação à categoria de cidade, fundada em 1623 pelo português oriundo da Ilha do Cabo Verde, Diogo de Braga, que em 03 de Agosto de 1645 fez surgir o Sentimento Nativista do povo brasileiro, na histórica Batalha de Tabocas, onde nasceu o exército brasileiro, pois, pela primeira vez em solo brasileiro Negros, brancos Índios, céu e terra se uniram para gerar a Nação, foram com estas palavras que às 20h00min horas,  na Rua do Estudante, 112, Bairro Universitário, neste Município da Vitória de Santo Antão, Estado de Pernambuco, um grande grupo de pessoas  atendem ao convite  do Sr. Paulo Roberto, foram recebidas, e reuniram-se em Assembléia Geral para fundar um Clube de Futebol que viesse representar a Terra  de TABOCAS.

O nome escolhido para o Clube foi: Vitória de Santo Antão Associação Acadêmica e Desportiva , por incorporar o sentimento, educativo, esportivo e coletivo que urge no seio do povo Vitoriense, e que a partir desta data  sua sigla será  V.S.A.D, representada socialmente pelo nome  VITÓRIA.

Com relação às cores, a Assembléia resolveu: serão o Azul do céu, o Grená do sangue dos guerreiros das Tabocas, e o Branco da paz,  em seu escudo constará o Amarelo do Sol e o Verde dos Tabocais, os quais representarão os seus símbolos no Pavilhão no seu escudo e em seu Hino, neles constarão a simbologia do Monte e dos Leões das Tabocas, do Sol, do Globo, da Cruz de Malta e das Armas com a inscrição de autoria de Paulo Roberto, ”Em Tabocas Nasceu o Sentimento Nativista”.  Assim nasce o VITÓRIA DAS TABOCAS, Muito mais que um time: Uma nova paixão! para preservar o passado, honrar o presente e gerar o futuro do povo Vitoriense, especialmente nas áreas desportiva e cultural com muita paz, amor e sobretudo fé em Deus. Com o Grito de Vitória, Vitória, Vitória, a Assembléia saudou a Fundação do VITORIA. Neste momento todos deram as mãos e unidos rezaram o Pai e Nosso e a Ave Maria.

HISTÓRIA DA VITÓRIA

Em 1626, o português Antonio Diogo de Braga, vindo da Ilha de Santo Antão do Cabo Verde, Portugal, fixou residência com seus parentes e edificou uma capela em homenagem a Santo Antão da Mata. Vitória de Santo Antão evoluiu sucessivamente da condição de povoação a freguesia, passando posteriormente à categoria de vila pelo alvará Régio de 27 de Julho de 1811, assinado pelo então Príncipe Regente D. João, sendo oficialmente instalada em 28 de maio de 1812. Do seu território, faziam parte as freguesias de Bezerros e Santo Antão, abrangendo uma grande extensão de terra, “correspondendo, hoje, às áreas ocupadas pelos municípios de Vitória de Santo Antão, Pombos, Chã Grande, Gravatá, Bezerros, Caruaru, Bonito, São Caetano, Sairé, Camocim de São Félix, São Joaquim, Barra de Guabiraba, Riacho das Almas e Cortês”. Pela Lei Provincial Nº113 de 06 de maio de 1843, sancionada pelo Barão da Boa Vista, então Presidente da República, foi elevada à categoria de Cidade, tendo seu nome mudado para Cidade da Vitória, em homenagem à Batalha ganha pelos Pernambucanos sobre os Holandeses no Monte das Tabocas. Este nome, porém, não permaneceu devido à existência de um Decreto-Lei que proibia a existência de duplicatas na toponímia nacional. Após muita discussão, foi definitivamente aceito e reconhecido o nome da Vitória de Santo Antão, em 31 de dezembro de 1943, pelo Decreto-Lei estadual nº952, para município, comarca, termo e distrito.Sitio Histórico Monte das Tabocas

O Monte das Tabocas é uma área de aproximadamente 11 hectares, onde em 3 de agosto de 1645 foi palco de celebre batalha entre os luso-brasileiros e os holandeses os luso-brasileiros escusaram os holandeses do local. Os primeiros liderados por Antonio Dias Cardoso e João Fernandes Vieira entrincheirados nas partes altas e protegidos pelos tabocais, derrotaram os flamengos.

Cumprindo a promessa feita por Fernandes Vieira, foi inaugurado no dia 3 de agosto de 1945, dia do tricentenário da batalha das Tabocas, a Capela de Nossa Senhora de Nazaré, construída com pedras do local.

Em 9 de novembro de 1978, foi assinada uma escritura de desapropriação de parte da área que circunda o espigão principal. Na época da batalha a vegetação era composta por imensos bambuzais, sinônimo de tabocais, daí o lugar chamar-se Monte das Tabocas. Outra riqueza no Local era Pau-Brasil. Em 11 de março de 1986 o Governo estadual homologou o tombamento do sítio histórico.

“Em Tabocas, nasceu o Sentimento Nativista do povo brasileiro”
Paulo Roberto Leite de Arruda
Vitória de Santo Antão, 06 de maio de 2008.